Produtos

TORRESMOS DO RISSOL

Região

Alentejo

Descrição

Este produto é obtido através de redenho fundida de suíno seguido de prensagem. São pequenos pedaços de gordura de suíno, fritos, que apresentam uma coloração dourada/acastanhada da fritura. É um produto frio aquando da abertura da embalagem que poderá ser colocado num microondas para que se consuma mais estaladiço e quente.

Declaração nutricional

por 100 g ou por 100 ml do produto
Energia (Kcal) 663
Lípidos (g) 59
Dos quais saturados (g) 25
Hidratos de carbono (g) 0
Dos quais açúcares (g) 0
Fibra (g) 0
Proteínas (g) 33
Sal (g) 0,85

História

A região Alentejo é eleita como o local de origem de excelência dos torresmos. Os Torresmos do Rissol, também conhecidos no norte do país como sainhas, são produzidos segundo um processo artesanal e, pela qualidade das suas carnes, quando comparados com quaisquer outros, tornam-se provavelmente os melhores torresmos. O crocante do torresmo do Rissol e o seu sabor tão genuíno fazem do mesmo um produto de eleição capaz de satisfazer os consumidores mais exigentes que procuram saborear os paladares tradicionais da gastronomia do Alentejo.

Área geográfica de produção



Concelhos

ESTREMOZ

Forma de utilização

Os Torresmos do Rissol consomem-se tal como se apresentam, no entanto, também poderá ser colocada uma pequena porção do produto num prato, levar ao microondas durante 10 segundos e servir de imediato.

Conselhos de uso

Colocar sal a gosto se necessário. Acompanha na perfeição com um bom vinho e uma mesa rodeada de amigos.

Ingredientes

Carnes e gorduras de porco

Sal

Apresentação Comercial

O produto encontra-se hermeticamente embalado em sacos de 180g e embalado em sacos de 1Kg com atmosfera protegida.

Condições de conservação / Durabilidade

O produto deverá ser conservado em ambiente fresco e seco.

Disponibilidade ao longo do ano

Jan
Fev
Mar
Abr
Mai
Jun
Jul
Ago
Set
Out
Nov
Dez
Produto

PÃO DE CASA DA MADEIRA

Produto tradicional da Região Autónoma da Madeira obtido a partir da amassadura de farinha de trigo, batata-doce (Ipomoea batatas L.), fermento de padeiro e/ou “massa lêveda”, água e sal e cozido em forno de lenha. Tem formato arredondado podendo, no caso particular da zona de São Vicente, apresentar a forma de trança ou rosca, detendo o nome de «rosquilha». Apresenta uma cor heterogénea, variando com a zona de produção e/ou produtor, mas sempre na paleta dos castanhos, podendo apresentar manchas brancas de salpicado da farinha, crosta mais ou menos espessa e bem aderente ao miolo, sendo, em geral, a textura interna constituída por um miolo denso, com alvéolos irregulares, elástico e macio no paladar e cor de creme a amarelo “sujo”, consoante a proporção de batata-doce que integra a massa. A batata-doce imprime à massa do produto características sápidas e de aroma inconfundíveis.

Produto

SIDRA DA MADEIRA

Esta bebida não é mais do que sumo de maçã fermentado, de forma simples. Apresenta baixo grau alcoólico e cor citrina a amarela palha consoante as variedades de maçãs utilizadas. No nariz obtêm-se notas de maçã contrabalançando com a baunilha muitas vezes presente pelas barricas de madeira utilizadas (normalmente de carvalho francês). Na boca está presente um sabor marcante, muitas vezes pelos taninos e acidez fixa da fruta utilizada, tornando-se assim a sidra da Madeira uma bebida refrescante, principalmente nas alturas de maior calor. Aroma e sabor a maçãs, com um fim de boca prolongado.

© Copyright 2021 ptpt.pt